Cirurgias

Transplante de córnea

 

 

O que é a Córnea? 

A córnea é um tecido transparente que fica na parte da frente do olho.  Se a córnea estiver “embaçada, arranhada”, mesmo que o resto do olho esteja sadio, a visão vai ficar ruim. Os transplantes permitem que pessoas com alguma deficiência visual por problemas de córnea recuperem a visão.

Durante um transplante de córnea, o botão (ou disco) central da córnea opacificada (embaçada) é trocado por um botão central de uma córnea saudável. Esta cirurgia pode recuperar a visão em pessoas que têm alguma deficiência visual por problemas de córnea.

Portanto, a córnea saudável deve permitir a passagem de luz através dela (deve ser transparente). A perda da transparência da córnea (opacificação) chama-se leucoma corneano, o qual pode prejudicar a visão. Além de ser transparente, a córnea normal apresenta uma curvatura capaz de ajudar na formação da imagem na retina (focar a imagem, melhorando sua nitidez). Assim, alterações na curvatura da córnea também poderão prejudicar a visão.

 

O que é o Transplante de Córnea?

O Transplante de Córnea é o transplante de órgãos mais realizado no mundo e também o de maior sucesso. A cirurgia consiste em substituir uma porção da córnea (doente) de um paciente por uma córnea saudável, a fim de melhorar a visão (finalidade óptica) ou corrigir perfurações oculares (transplante tectônico).

 

Que doenças podem ser corrigidas com o Transplante de Córnea?

O Transplante de Córnea é indicado, obviamente, para algumas doenças da córnea. Muitas pessoas acham que essa cirurgia resolve qualquer doença no olho, mas não é assim. Só as doenças da córnea podem se beneficiar dela. Não existe Transplante de “todo o olho”, ou Transplante de Retina. Diversas doenças podem ser tratadas com o transplante de córnea, como:

a) Ceratocone (doença que altera a curvatura corneana, podendo causar opacidades na córnea);

b) Degeneração marginal pelúcida (doença parecida com o Ceratocone e que também altera a curvatura da córnea);

c) Ceratoglobo (formato alterado da córnea, associado com afinamento da mesma);

d) Distrofias corneanas (alterações bilaterais, progressivas que costumam provocar opacidades corneanas), dentre elas podemos citar a mais comum: Distrofia de Fuchs;

e) Ceratopatia Bolhosa (descompensação da córnea, com presença de uma córnea com gutata, edema e diminuição da visão, devido à falência do endotélio da córnea);

f) Córnea guttata e Distrofia de Fuchs (descompensação corneana que pode progredir para ceratopatia bolhosa);

g) Infecções corneanas graves;

h) Leucomas (opacidades corneanas que podem ser originadas por diversas causas, como traumatismos, queimaduras químicas, infecções por herpes e distrofias corneanas, por exemplo);

i) Perfurações oculares.

 

Quem pode ser um doador de córnea?

 Qualquer pessoa que queira doar seus órgãos após a morte e ajudar outras pessoas que sofrem de problemas visuais. Não há qualquer restrição em relação a ter feito cirurgias oculares, ter glaucoma e etc.

Mesmo assim, os familiares do doador sempre são consultados e precisam autorizar a doação. Por este motivo, caso você deseje doar suas córneas, comunique isto à sua família para que saibam de sua vontade.

Retirada da córnea

Imagem 1: Illustração da córnea doente sendo retirada ou córnea sadia sendo inserida

 

Pós-operatório

Imagem 2: Pós-operatório do transplante de córnea

 

Fonte: http://www.iorj.med.br/transplante-de-cornea-2/