Prevenção, clínica e cirurgias da Retina

 

Dr. Alexandre Marques Rosa - Oftalmologia com ênfase em Doenças e Cirurgias da Retina e do Vítreo.

O que é a retina?

A retina é uma camada fina que forra a parede interna do olho. A retina pode ser comparada ao filme de uma câmera fotográfica. As imagens que vemos são focalizadas pelo cristalino e projetadas na retina.

As imagens são transmitidas pelo nervo óptico do olho ao cérebro para a interpretação. Assim, a retina é a parte mais importante do olho.

A retina é composta de duas porções principais: uma área macular central e uma retina periférica muito maior.

A retina periférica permite que nós vejamos objetos em movimento (visão periférica) e, fornece consequentemente a visão necessária para que uma pessoa se mova com segurança.

A macula é uma área muito pequena, e central da retina que contem uma concentração elevada de fotoreceptores (cones), que são responsáveis pela visão de detalhes, como por exemplo, leitura ou enfiar uma agulha. A macula, é particularmente sensível às mudanças de circulação, especialmente aquelas que ocorrem com envelhecimento, tal como o fluxo diminuído do sangue.

notícias visual laser retinaO que é um descolamento da retina?

Um descolamento da retina é uma separação da retina da sua conexão na parte posterior do olho. A separação resulta geralmente de uma rasgadura na retina. A rasgadura frequentemente ocorre quando o vítreo se separa da sua conexão na retina. O vítreo é um gel translúcido que preenche a maior parte do interior do olho entre a retina e o cristalino.

Se a retina for fraca (ou possuir alguma lesão que a fragilize) quando o vítreo puxa descola, a retina rasga-se. Este rasgo é por vezes seguido por hemorragias, se um vaso sanguíneo for rasgado também.

Uma vez que a retina se rasgou, o vítreo pode então passar através da rasgadura e acumular-se atrás da retina. O acúmulo do vítreo atrás da retina é o que causa o deslocamento. Quanto mais vítreo passa pela rasgadura maior a extensão do descolamento da retina. Este pode progredir e envolver toda a retina, levando a um descolamento total da retina. Um descolamento da retina afeta quase sempre somente um olho. O segundo olho deve, no entanto ser verificado.

Quais são os sinais e os sintomas de um descolamento da retina?

Presença de flashes luminosos ou moscas volantes em grande quantidade podem ser os sintomas iniciais do descolamento da retina. Um paciente que comece a experimentar estes sintomas deve ser examinado por um oftalmologista especialista em doenças da retina

Os sintomas flashes luminosos ou moscas volantes são geralmente benignos e podem resultar de uma separação do vítreo da retina. Esta circunstância é chamada um descolamento posterior do vítreo (DVP). Embora um DVP ocorra na maioria das pessoas com a idade, frequentemente, não há nenhuma rasgadura associado com esta condição.

notícias visual laser retina         

Flashes Luminosos                     

  notícias visual laser retina

Moscas Volantes                                                                

Se, entretanto, o paciente experimentar o que está descrito como uma sombra ou uma cortina que afetem qualquer parte da visão, este sintoma pode indicar que uma rasgadura da retina ocorreu e progrediu para um descolamento da retina.

Nesta situação, o paciente deve imediatamente consultar um oftalmologista. Nesta circunstancia o tempo pode ser critico. O objetivo INICIAL do oftalmologista é fazer o diagnóstico e tratar a rasgadura ou o descolamento da retina antes que a área macular central da retina se descole.

notícias visual laser retina

Visão do Paciente com Descolamento de Retina

Quais doenças dos olhos predispõem ao desenvolvimento de um descolamento da retina?

A degeneração em palissada da retina (LATTICE) ocorre em 6% a 8% da população.

A miopia elevada (maior que 5 ou 6 graus) aumenta o risco de um descolamento da retina. De fato, o risco aumenta para 2,4% em comparação aos  0,06% de risco para um olho normal de uma pessoa com 60 anos.

Cirurgia da catarata ou outras cirurgias podem aumentar o risco nos pacientes com miopia elevada.

Os pacientes com Glaucoma têm um risco aumentado de desenvolver um descolamento da retina.                                                                                                                                                                                                                          

Que outros fatores estão associados ao descolamento da retina?                                                                                                                                                                                                                               

Os traumatismos podem causar um descolamento da retina.

Um descolamento da retina não traumático parece indicar uma tendência (herdada) genética para desenvolver descolamentos da retina.

Em  5% dos pacientes com um descolamento da retina (não traumático)  podem experimentar o mesmo problema no outro olho. Assim o segundo olho de um paciente com um descolamento da retina deve ser examinado e seguido com atenção, pelo paciente e pelo oftalmologista.

Os diabetes podem conduzir a um tipo de descolamento da retina causado por tração na retina, sem rasgadura.

Por que é imperativo tratar um descolamento da retina?

Quase todos estes pacientes progredirão até a uma perda total da visão se o descolamento não for operado.

A reparação cirúrgica de um descolamento da retina é geralmente bem sucedida, embora mais de um procedimento possa ser necessário.

Uma vez que a retina é reposicionada, a visão geralmente melhora e estabiliza.

A capacidade de leitura após a cirurgia dependerá se ou não a macula (parte central da retina) foram descoladas.

Descolamentos da retina severos podem requerer uma técnica cirúrgica mais complicada chamada Vitrectomia. Estes descolamentos incluem aqueles que são causados pelos estágios avançados de diabetes.

A Vitrectomia é usada também nas rasgaduras retinianas gigantes, hemorragia do vítreo (sangue na cavidade do vítreo que obscurece a visão do cirurgião da retina), os descolamentos retinianos provocados por tração, membranas retinianas ou infecções severas no olho (endoftalmites).

Quais são os resultados da cirurgia para um descolamento da retina?

A cirurgia do descolamento da retina é bem sucedida em aproximadamente 80% dos pacientes com um único procedimento.

Diversos meses podem passar, entretanto, antes que a visão retorne ao seu nível final. O resultado final para a visão depende de diversos fatores. Por exemplo, se a macula foi descolada, a visão central raramente retornará ao normal.

Mesmo quando a macula não foi descolada, parte da visão pode ainda ser perdida, embora a maioria recupere.

Novos furos, rasgos, ou trações podem ocorrer, levando a novos descolamentos da retina. O acompanhamento constante por um oftalmologista é importante.

Os estudos em longo prazo mostraram que mesmo após tratamento preventivo de uma rasgadura 5% a 9% dos pacientes podem desenvolver rupturas novas na retina, o que poderá conduzir a um novo descolamento da retina.

A cirurgia de descolamento da retina fez grandes avanços nos últimos vinte anos com a restauração da visão útil a milhares dos pacientes.

A vitrectomia posterior é a cirurgia que consiste na remoção do vítreo (um gel transparente que fica dentro dos olhos). A maioria das cirurgias da retina, tem como etapa importante a remoção desse gel.

Os pacientes com descolamento de retina, membrana epirretiniana, buraco de mácula, tração vitreo-retiniana e outras doenças são tratados com essa técnica.

Atualmente, realizamos a vitrectomia sem sutura, com instrumentos muito finos e delicados, com cerca de 0,7 mm de espessura (23 gauge). Com isso, conseguimos uma cirurgia mais rápida e menos agressiva para os olhos.

Após a cirurgia de vitrectomia, o paciente deverá permanecer em repouso por 2-4 semanas e dependendo do caso, por mais tempo.

A principal complicação dessa cirurgia é a formação de catarata, que pode ocorrer mesmo anos após o procedimento.