Últimos posts

Baixo rendimento escolar de crianças pode estar relacionado à visão

Em Marília, SP, professores tentam detectar problema durante as aulas. A cada 10 alunos em idade escolar, 8 nunca passaram por oftalmologista.

notícias visual laserEstudos descobriram que metade dos alunos com baixo rendimento na escola precisa usar óculos. Às vezes os pais acham que o problema é o professor ou o desinteresse da criança, mas nem pensa na possibilidade de o filho ter algum problema de visão. A situação pode ser resolvida a partir de um exame. O problema é que a cada 10 crianças em idade escolar, oito nunca passaram por uma consulta oftalmológica.

Em Marília, SP, a dificuldade para enxergar a lousa ou os livros pode ser uma das causas para o baixo rendimento escolar de vários alunos. Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, 12% das crianças precisam usar óculos e metade dos alunos com notas vermelhas no boletim sofrem de algum problema de visão.

 

A estudantes Evelyn Greco Reis, de 8 anos, não conseguia enxergar as anotações da professora na lousa. Depois de descobrir que precisa usar cinco graus para corrigir a miopia as notas melhoraram. "Tinha muita dor de cabeça. Depois que minha mãe me levou para colocar os óculos ficou bom", contou.

 

Já o pequeno Mateus Magaloti, de 3 anos usa óculos há um ano. A dificuldade para enxergar foi identificada na sala de aula. "A hora que a criança olha na lousa, mesmo na hora de prestar atenção olhando para a professora ou anotando. A professora observa se a criança tem algum problema de visão", explicou a diretora de escola, Analice Rocha Amorim.

 

Os pais também têm papel importante na hora de descobrir os problemas de visão das crianças. O jornalista Ramon Barbosa Filho percebeu que o filho tem dificuldade para enxergar. Guilherme, de seis anos, há três ele usa óculos para corrigir a miopia. Estudar e ficar no computador são tarefas que ele não pode e nem pensa em fazer sem os óculos.
"Quando mudamos de casa colocamos a mesa embaixo de uma luminária na cozinha. Então, toda vez que a gente se sentava para comer o Guilherme reclamava que estava muito claro. Levamos ele ao oftalmologista", informou.

 

Segundo o oftalmologista Dagoberto Teixeira Filho, os pais e professores devem se unir para identificar os problemas de visão das crianças. "Eles devem observar se a criança tem dor de cabeça, diminuição do rendimento escolar, as coceiras, os olhos vermelhos".

 

 Fonte: g1.globo.com/sp